LIBERDADE AQUI!

Um Espaço de Liberdade de Expressão

A pior face do Velho Continente: o perigo da xenofobia.

Posted by Liberdade Aqui! em 28/05/2011

Do Portal Nassif

Berlusconi se agarra à tábua de salvação da xenofobia

Enviado por luisnassif, sab, 28/05/2011 – Por raquel_

A pior face do Velho Continente

sp;LUISNAGAO – 27/05/2011POSTED IN: DESTAQUES

Derrotado pela Refundação Comunista em seu reduto e despencando em popularidade, Berlusconi tenta salvar-se convocando italianos para xenofobia explícita

Por Luís F. C. Nagao

O suposto cavaliere, enfim, soltou as frangas. No último domingo (22/5), mal terminara o primeiro turno das eleições para governos municipais italianos quando o primeiro-ministro Silvio Berlusconi dirigiu-se a correligionários e despejou seu ódio. Referindo-se a Milão, onde fez fama e fortuna, previu: em caso de vitória dos adversários, a elegante metrópole do Norte iria converter-se em “uma cidade islâmica, um acampamento de ciganos, cheia de romenos e assediada pelos estrangeiros, aos quais a esquerda tem dado o direito de votar”.

O orgulho do premiê fora humilhado. Sua popularidade, abalada pela crise econômica e escândalos sexuais, despencara a 31%, em abril. Nas eleições do fim de semana, seu partido, o “Poppolo della Libertà” (PDL) fora liquidado, já na primeira volta, em cidades importantes, como Bolonha e Turim. Mas o vexame mais arrasador deu-se no próprio reduto de Berlusconi. O advogado Giuliano Pisapia, quase outsider no grande jogo da política institucional – obtivera 48% dos votos, contra 41,6% dados à candidata da direita, Letizia Moratti. Tornara-se favorito para o turno decisivo (marcado para este 29/5). Giuliano, oriundo do Partido da Refundação Comunista (PRC), concorre pela coligação de centro-esquerda.

Mas o destempero que pareceu, à primeira vista, fruto de choque emocional do premiê converteu-se, nos dias seguintes, em estratégia. Ao invés de diluir o mal-estar provocado pelo discurso xenófobo, a direita italiana passou a explorá-lo. Em Milão, sua campanha degenerou para uma tentativa de fazer aflorar os recalques dos italianos conservadores contra o outro, na esperança de que uma onda de medo possa reverter a derrota.

"Milão Cinganopólis com Pisapia", mais acampamentos nomados, a maior mesquita da europa

“Milão Cinganopólis com Pisapia”, mais acampamentos nomados, a maior mesquita da europa

Os cartazes de propaganda do PDL passaram a alertar contra a “torrente de ciganos” que supostamente invadiria Milão, em caso de vitória de Pisapia. Afirmou-se que o comunista pretendia transformar a cidade em Zingaropoli, algo como “Ciganópolis”. Atacou-se o discurso tolerante do candidato, que declarou não se opor à construção de uma mesquita no município. Na quarta-feira (25/5), Il Giornale, um diário nacional controlado pela família Berlusconi, “advertiu”: “O Islã marchará sobre a catedral de Milão”, caso a candidata do primeiro-ministro seja derrotada.

Talvez não sirva de muito. As eleições italianas mostram uma significativa mudança no ânimo político do país. O prestígio da direita foi abalado tanto pelo escandaloso caso Ruby Gate (em que Berlusconi é acusado de contratar, como prostituta, uma menor) quanto pelas consequências da crise. “A gente não chega ao final do mês e ele [Berlusconi] gasta milhões em sua festa.”, disse um taxista ao diário espanhol El País.

Além de tirar proveito da nova conjuntura, Giuliano Pisapia soube construir sua candidatura de forma não-tradicional. Não é político de carreira. Filho de um ilustre jurista milanês e advogado penal de projeção, tornou-se deputado em 1996, aos 47 anos. Ao lançar sua candidatura ao governo municipal (em primárias promovidas pelo bloco de centro-esquerda), tinha apenas 4% das intenções de voto. Identificava o ceticismo da população com relação aos políticos.

Mas enxergou que havia milhares de pessoas interessados em participar – se encontrasse espaço. Começou a organizar comitês e coordená-los. Baseou seu programa na crítica à privatização dos serviços públicos – inclusive, parques como oConfaloniere. Denunciou que, ao fazê-lo, a direita atentava contra a cultura da cidade e do país. Atribui a sua vitória no primeiro turno ao trabalho nas ruas. Agora quer dar a sua candidatura caráter suprapartidário, envolvendo, além do centro-esquerda, radiciais e velhos socialistas.

Além de significar perda do controle sobre governos importantes, o declínio eleitoral de Berlusconi poderá, segundo analistas, coloca em crise a coalizão no poder – que une o PDL à Liga do Norte, mais abertamente xenófoba. Para Franco Pavoncello, professor de Ciências Políticas na universidade John Cabot de Roma: “este resultado surpreendente e negativo iniciará uma crise no governo” Já começam a surgir, na Liga do Norte, questionamentos sobre a validade de continuar ou não a aliança com o primeiro-ministro. Na hipótese de derrota definitiva em Milão, muitos pensam que a Liga poderá abandonar rapidamente o governo, o que poderia desencadear sua queda.

http://www.outraspalavras.net/2011/05/27/a-pior-face-do-velho-continente/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: